segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Calor

Nica

A perfeição possivel
A noite imaginando seus gestos 
traços do seu rosto, olhos impacientes e vibrantes
quando sorrir possui  entusiasmo de sol em brasa
Esta chovendo pingos ardentes
recordo o mais infímo detalhe
Encanto saboreado em cada encontro
Suspiro, toco, sinto, ouço, falo
Estou vivendo  
Voçe me pertence

domingo, 27 de dezembro de 2009

Compromisso

Como atingi esta  profundidade
Procurei subterfúgio paralizante
Queria entorpecer o coração
Apagava meu rastro
Dissolvia confiança
Hesitava na hora de seguir
Estranhamente sob meus olhos
Telhado de afeição e cuidado
Um céu azul
Hoje tenho certeza
Redobro a atitude legitima
A evolução da confiança
Sobretudo a ação
Estou me acomodando em minha descoberta
 leal ao amor


Sob Medida


Costurando reflexão  no vestido de sonho
Bordando escrupulosamente minha vontade
Penso onde guardei o babado da lucidez
Um  classico modelo  encomendado por acaso na primavera  num terraço a luz da lua  e muito vento
 varios tecidos vistosos porém demasiadamente pesados
como elaborar um drapeado amoroso que quase não permite a locomoção
e qual seria a ocasião de usar esta roupa da paixão estupidamente ajustada
para momentos convinientes
Não, não devo reduzi-lo
Mudarei a escolha
Que absurdo estou sonhando ou relembrando
Sentindo saudade ou emoção
O modelo esta pronto
Composto de seda branca cintilante essencialmente lirica perfeita "amor"
Com alças sensuais
 ouso colocar um véu transparente  "alma"


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A virada

O sabor da inocência
A alegria do amador
Dormi com o mistério
Não me refiro ao exito de faze-lo feliz
Contudo tenho um coração decidido
Inevitaveis circunstancias
Sinto sem esforço a  presença da satisfação irresistivel do meu espirito
Lúcido momento sorrindo, amando e sonhando
Substituirei as angustias
 por essência, espirito e alma
Minhas ultimas palavras regadas a condição humana

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Ouso Pretender

Consolo-me falando ao meu temperamento
que existe algum bem neste instante imperfeito
Pensando sozinha
não quero ser estripada
porque devo designar tanta emoção
Morrer!
A morte chega para todos
Sim
Mas qual é a verdadeira morte
Será viver sem amor
Ou viver com um amor tão pesado que sufoca
Quero amor
O amor
Não amor cobrado
Não amor exigido
Não amor sofrido
Não amor desigual
Não amor carente
Não amor moldado
Não amor classico
Não amor conceitual
Não amor migalha
Não amor que me faz lembrar a poesia de Drummond " Tem uma pedra no meio do caminho"
O amor, o amor!
Sim
a arquitetura do amor que se faz por ele mesmo.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Metaforicamente Rosada


Tocar o arrepio inflamado de paixão
Lobo brilhante!
  que posso fazer nesta metrópole
Etna ficou timido perto desta erupção
 Minha crosta acreditei  ter sepultado
 despertou
Morra! fantasmas do medo
inferno esta ausência
Lavarei toda incerteza infortunada
Dezenas de dias centenas de minutos  milhões de segundos
gritam por toque de alma
 buzinas  entre  predios, arvores,carros,caminhões e até aviões assistem meu tormento
Espero seu calento esfera destemida.
Estou quase descobrindo tua verdade presumida.
E toda a certeza experimentada agora escorre na margem da paixão
Propor a entrega do momento
A verdade verdeira...


domingo, 20 de dezembro de 2009

Luz Teatral

Sentada na penumbra ouvindo palavra amiga
Um vulto de energia me chama a atenção
Caminho até o terraço, paro, observo sorrindo
Tomei posse de um rosto
Intrigante sorriso
O vento acariciando meus cabelos
Uma noite forte abrigando  meus anseios
Abraçando  misterios
Arduo e aflito coração
Minhas viceras contraidas pedem socorro
Materia deserta sirva o banquete do meu sangue
Esse insensato enforcador natural
Amor

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Sistema




Mudança de casa, mudança de habito
Tirar as mochilas
Vejo o mar com tanta força
Um sono sem fim
Nesta època onde o comercio faz seu espetaculo
Nada vale a pena nesse circo universal
 Promovido por esbeltos, ricos e hipócritas
Razões descabidas continuam a reenventar contos de fadas
Faço minhas as palavras de Fernando Pessoa
  "Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir".


quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Ouço

                                                                                                                         O tom profetico

                                                                                                             
                                                                                                                       Ideía tortuosa
                                                                                                                                     
                                                                                                               
                                                                                                                    
                                                                                                                                 Estado intenso

A dissociação da razão e emoção
Situação que elimina qualquer ilusão
Momento de liberdade decrecrescente
Hora da verdade eis meu amanhcer iluminado
Pressinto a ilusão expota em  magnifico sofa com plumas de promessas cerzidas de egoismo
Basta
Pousarei meus pensamentos em aguas mornas
Vou para rosa branca
Onde o amor me aguarda sem cobrança e sem dor!
Namasite

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Enigma

O espirito escolhe expressar-se por meio do pêndulo amor
A precisão deste sentimento transforma o invisivel e intocavel
Imediatamente surge o toque e a sensação
um pigmento vai ganhado forma simples e clara
Ler um poema do amado
Sangrar separado
Nunca esquecerei este sentimento alado
Converso com coerência e sinto uma vasta desolação



Nica

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Chaves


Caminhando na praia do forte  me deparei com uma beleza singular
uma linda casinha com inumeras chaves penduradas
Me deparei com profundo sentimento
As chaves dos amores
As chaves dos sonhos
As chaves dos medos
As chaves das definições
As chaves dos problemas
As chaves das situações pré-estabelecidas
As chaves das pressões
As chaves dos valores
As chaves das virtudes
As chaves imaginativas
As chaves das culpas

Todas essas chaves tem sinificados distintos para cada pessoa em sua vida diaria
O facto de exorcisar chaves não significam resoluções
argumentos paradoxais
 apenas restringem algumas alternativas
não existem formulas mas evoluções
Fronteiras que atravessamos
Não almejo o trabalho de Sísifo

Laços


Quando pensamos em amor imediatamente criamos o quadro perfeito
-ouvir uma frase
 O amor que voce idealiza é o mesmo que sonha em ter ao seu lado?
deveria responder positivamente
 se eu disser carne: materia
espirito: luz
Diamantes  cravados em tardes de verão
corpos enlaçados com as mesmas sensações
olhos que ultrapassam a leitura visual
atitudes rubras e intensas
Sentir a neblina gritando na escuridão parda
Sonho com borboletas em minha janela
Recordo peixinhos coloridos na luz do sol
Guilhotina, tempo,espera,paciência
Amo o amor
Todos percebem a cores e os cheiros de amores verdeiros
 Espetaculos de fogos dourados prateados

Beijar, abraçar,sorrir,cantar,caminhar,dormir,acordar,chorar
Sentir o amor

domingo, 13 de dezembro de 2009

Condição

A crença que seria capaz de suportar
pretenção inexistente
sonho irreal
momentos que vive
frio,fome,solidão,lagrimas,vazio
quiz morrer mais não tive exito
Tenho em minhas entranhas a responsabilidade dos meu entes queridos
devo padecer em minha dor
talvez um dia tudo isso venha a mudar
não acredito em milagre
e sim em opções
e sempre optamos por caminhos necessarios
e não o que desejamos

Motivos

Benignos são momentos ferteís em emoções
amarradas enlaçadas em fios de metais dourados
Guardiões de pensamentos puros
vieram ao meu encontro murmurando palavras  fortes e profundas
Nasce o nectar brilhante " presente"
Em sonho seus labios emanavam aromas de chocolate.
Subtamente ouço  o canto "distancia" agora abafado e vencido
Sem hesitar volto para meu silencio amoroso acolho minhas lagrimas
Movimentando lentamente minha retina vejo orquideas assitindo ao espetaculo "Paixão"
Com seu caule carregado de docura sinto seu afago orquidea amiga.

                              

Nica

sábado, 12 de dezembro de 2009

Banho de Luz

A dura busca por simplicidade, a vida é simples!
A vida e  simples?
Pela duvida chega a inspiração
A luz, a cor, o tom, o sorriso, a realidade, a ilusão, a perola
Respiro com dificuldade sinto a lenta circulação por entre os vasos contraidos de emoção
Tenho medo de ser jogada nas aguas do esquecimento
Dobro  os joelhos devegarinho e com meus dedos frios toco em lebranças quentes
Com lagrimas formadas, meus olhos se umedecem e minha garganta se desidrata
O lado sol impõe  cores vibrantes paixão
 pintar este sentimento com amarelo dourado e aurea violeta  com a presença de uma velinha acesa central dando efeito teatral e poetico ao sonho de viver e amar.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Grito

Estou contemplando a vida e sofrendo, decidir brindar poeticamente
tomando Dom Perignon sentindo a brisa
o ar sentimental desempenhando cenas tocantes e doloridas
Sensibilidades exageradas como nunca
explosões repetidas
um manto de amor, um casaco de dor !!! sou covarde ... quero colocar um muro bem alto onde eu não possa alcançar...
Subtamente convoco meus serafins " AMOR AMOR E AMOR"
Inocencia, fidelidade concreta
Afrouxar todos os laços?
Não consigo respirar
Gelo, inox, agua, garrafa, vidro flores
noite crescente, surpresa !!!
 Somente amando sabe o peso de AMAR!!!
Adormecer cercada de livros  , paredes vestidas de branco, esculturas despidas,pinturas  com suas vestes drapeadas .

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Imperfeições

Existem condições necessarias para a maturação do amor
especificamos algumas concientes: impulso natural ! situação ideal ! conquista progressiva ! ressonância...
A existencia desses elementos garantem a existencia de tal sentimento
Ao que indica preciso despir esta situação
Procurei um equilibrio absurdo
Pensando de forma isolada tudo e possivel
Sublinhar tristeza
Desenhar e pintar 
alimentam minha vida interior.
Não quero eliminar o real
 o que e certo
o que errado
  sempre os mesmos principios
Quero justificar  e abstrair somente os pontos fortes, no entanto explicar  os travesões enfraqueceriam  as virgulas
Me deparo com uma linha hora ondulada presa!  hora horizontal livre
Em principio o problema não são os movimentos e sim a existencia de uma forma estatica.
Confesso nunca imaginei tal situação
A busca da coerência permanece inacessivel
Me assombro,  nada igualavel isso e desesperador... vou dominar este sentimento...não posso profetizar mas posso amar...

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Carpa

Gritei   em dias escuros e noites claras  conversei com pedras falantes pessoas mudas razões  inatas,
contornos de arvores ruidos artificiais
Quero jarros  transparentes derramando agua de desejo, paixão, liberdade e enfim mergulhar no amor sincero. Abraçar sem falar! olhar espelhado refletindo a luz do amor...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Agua Viva




Agua viva com  sua aparencia inocente, oca e transparente, chega a parecer terna em seu tom amoroso me perco em sua  silhueta  que me transporta à pintura de Botero.Ela silenciosa eu embaixo de sol escaldante pensando preciso velar este momento. Se eu  tocasse nesta linda agua viva aconteceria uma explosão que logo esqueceria sua cor e inocência.



Casa do Poeta de São Paulo

Casa do Poeta de São Paulo
Presidente Wilson Jasa, Vice Presidente Adriano Augusto, Embaixadora Cultural

Movimento Poético

Movimento Poético

Associação de Poetas Portugueses

Associação de Poetas Portugueses

Casa do Poeta de São Paulo

Poderá também gostar de:

Postagens antigas

Seguir

Obrigado à todos visitantes!

Maria Ruth

Maria Ruth
Artista Plastica

Titulo - Criação By Nicah Gomes

Titulo - Criação By Nicah Gomes
Tela - Acrilico TM 1x20 1.00

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Translate