quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

"Julgamento "

Parece corriqueiro e até mesmo companheiro esse querido que nos acompanha em nosso dia a dia
como é fácil julgar!
Como é fascinante ter a distancia confortável para podermos sem dor nem  piedade  "julgarmos" o proximo
as vezes até mesmo o próximo do próximo, sem ter a menor intimidade com as razões pelas quais tais pessoas tomaram determinadas atitudes.
A delicia suculenta de negativar os outros é tão saborosa, que ao observar o locutor do julgamento podemos sentir o ranger dos dentes, com os lábios presos salivando de felicidade por denegrir o outro
Somos imperfeitos quase retardados eu diria!
Com tamanha soberba  de atacar quem esta simplesmente passeando pela calçada da vida, que é tão breve
e dividida.


Maria das Dores.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Sentimento Inflamado

Em determinados segundos de nossas vidas firmamos mudanças e propósitos
Alguns minutos determinam as próximas horas de nosso cotidiano
Pensando num passado quase presente, fazemos acertos precisos 
E assim escolhemos nosso melhor momento
O respeitar seu ser!!!
Ser o movimento cíclico da pupila viva
E viva a vida conhecendo pessoas vivas de verdade que mantém toda vivacidade contando suas historias entusiasmadas recheadas de palavras acolchoadas de entusiasmos.

Nica Gomes  


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Bil













Quando você chegou em nossa vida tão pequenino indefeso
cabia na palma da minha mão, aos poucos foi crescendo, e
a cada dia que passava parecia mais jovem, o seu amadurecer
era sinônimo de beleza.
Durante esses doze anos nos deu o prazer de sua companhia e dedicação.
Seu caminhar de coelho, causava questionamento em todos que o olhavam!
Como descrever minha vida sem você!
Quando abrir a porta, você não estará mais aqui com seu carinho!
Quando eu falar " vamos passear" quem irá se alegrar!
Quando estiver preocupada caminhando pela casa, você não estará mais aqui sentado ao meu lado
parecendo me dizer que tudo iria passar!
Sei que o dia do adeus chega para todos, mas entre saber e viver esta perda existe um abismo meteórico.
- é-me difícil e dolorido admitir não vou te ver mais fora da minha lembrança.
Meu querido amado eu te amo e sempre te amarei por toda minha breve existência que também um dia irá dizer adeus.



Nilzangela Lima

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

- Academia

Uma silhueta desengonçada saltava na cama elástica sem plástica!
nem mesmo a natureza lhe foi conivente !!!
Gente o pior foi quando Tereza olhou para o lado os olhos eram  trocados...
Oh! Tereza essa encarnação não te deram  moleza!  
 Uma bunda engraçada não tinha nadega não nada!
 -não dava para saber se usava uma calcinha  ou cueca,
mas parecia um coador frouxo do meu avô,
pendurada na metade da referencia " bunda"
Mas que coisa oriunda uma mulher sem...

Nica Gomes
 

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Cronica - Lamento

Nos dias atuais nos deparamos com políticos e políticos!
Um certo grau de culpa e culpados por falta de ação e informação.
O fato é que lamentos como; não posso, não tenho tempo, não recebo apoio,  são frequentes na boca do povo.
Onde esta mesmo a corrupção? porque antes de votar em cada individuo não procura saber quais as medidas que serão tomadas? onde podemos encontrar a tal corrupção? onde ela começa?. Gente chega desta falta de assunto vamos mudar este palco esta em nossas mãos. Como assim?repetir inúmeras vezes que nosso país não tem jeito. Nossos atos é que mudaram nossas historias, hoje agora neste momento faça algo para mudar, comece por ser um cidadão que se respeita antes de sair criticando aos quatro ventos sem fundamentos.


Nica Gomes

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Mundo Fantastico

Certamente a sinergia  implacável nos prega presentes reluzentes
Incríveis  encontros de almas compostas de letras brilhantes
palavras saltitantes, falas felizes!
Felizes anjos  reencontram  pessoas que são como 
verbos;
 amar,
doar,
materializar,
criar,
realizar sonhos!
Mundo fantástico; abrir  portas e janelas e fazer coisas belas!
Belas  panelas 
Panelas, janelas pintadas em aquarelas
Aquarelas, lampiões e balões cheios de paixões
Paixões são letras de poetas que emergem  faíscas aeradas do povo sem paixão. 


Nica Gomes

sábado, 15 de novembro de 2014

Transforma Flores

E quando fala o amor!
O amor  fala compreendendo o que outro não esta dizendo...

Paradoxo olhar feminino as vezes felino sem atino...
O amor por vezes altista e outras tantas otimista...

E quando escuta o amor, a pele fica cintilante diante do amante...
O amado rubra cor tem sempre no coração e casaco de flor.

O cravo pequenino tem cara de menino traquino
mas isso é coisa do amor...


Nica Gomes

domingo, 26 de outubro de 2014

Descortinar

A porta se fechou, a janela surgiu
O corte abriu, a culpa partiu
Penumbra sumiu
Vejo lírio que outrora despedaçou a rosa
Libélula voando para mata libre

O real com viés sonhado
O bordado inventado agora esta rasgado
Emendar cristal é o mesmo que querer matar embrião jogando sal
A brisa da serpente no estomago,  tira lagrima do figado!

Quanto mais fundo o buraco, mais claro ficam as razões
A pele da pele expele e repele culpas
Acabou o sonho de pedrinhas encantadas

Acumulo de roupa roca
Roca voz noturna com amolada guilhotina
Corte exato o começo do caminho...


Nica Gomes



   

sábado, 4 de outubro de 2014

Verões

Faroeste de letras pensadas
Começam a trilhar frases famintas
Tralhas, trilhas, palhas... pilhas, calhas!!!
Outros, ouros, tolos, tijolos!!!
Cegos, pregos, chaves...
Portas, pernas, placas...
E la estão as Marias dos amores...

Nica Gomes

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Tempo

Ah encontro cronológico que chega alegrando e abrandando os corações ansiosos juvenis
Ah primaveras!  porque te quero?
Te quero!
- porque tu me traz pétalas aveludadas encharcadas de charadas em palavras carameladas 
Oh Baudelaire fico à imaginar as balzaquianas calçadas com havaianas!!!
Oh tempo por que te quero!
Te quero porque tudo muda o tempo todo!
Apocalipse 2000  previsões  e também profecias 
 " não sobreviveriam nem ratos"  porém um certo sistema que possui um tal edema conhecido como congresso, que vive em recesso ou excesso mudou este processo!
Nem mesmo os profetas imaginavam que os ratos orelhudos fossem como aqueles isentinhos cascudos   conhecidos por terem   sete saias de veludos, usam como escudos adjetivos à me nudo
mas nosso amigo tempo consegue despir tudo. 
Oh tempo porque te quero!
te quero porque!
  verões e verões  aquecem nossos  corações 
e confirmam que
  jamais deixaremos de  ser brasileiros das paixões.

   


Nica Gomes

nota:segundo filosofo Silveira Bueno
 brasileiro’ era adjetivo que indicava profissão: tirador de pau-brasil.


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Atravessando a ponte

Passo do passo à cada passo, sem poder olhar para traz,
ou será que o sal esta na travessia? e não no passado?
Escolher ou ser escolhido? colhido? ou arrancado ?
Exibir o louro ao inimigo morto carregado de moeda!
O amor ah !
Oh amor!
Chacoalha AMOR!
Arranque saia cavando  tanque de risadas ou litros de sorrisos, a fonte nunca secará
se continuar explorando terreno  cinzento,   continue  armazenando assim não à de faltar
vida.
 Penso;  lua cheia, bananeira, travessura, palavra trocada momento certo tempo sem tempo
busca da segurança.
- invisível, ao tentar segurar segurança você perde qualquer esperança escorrega pelos dedos toda paixão ou ilusão do ser. 
Amor, esse podemos segurar sentir, apalpar cultivar, ler e ler por longos anos ou quem sabe sentir por toda a existência,  o amor esta além do terreno, ele esta lá no além da lenda. 
Como poderia ter sido? será que poderia ter acontecido? o amor ficou a oportunidade passou!
a vida continua as vezes cozida e as vezes crua!
Explicar porque não? seria reencarnar sofrimentos  enterrados requentar macarrão!
Mas o amor! ah o amor! oh amor! esse continuará eternamente no coração e na mente da gente.

Nilzangela Lima


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Carga Explosiva

O incrível poder de escolha, inenarrável a destruição ou construção de algo " imensurável" peso ou alivio!
De quando em quando, de vez em vez quando!

Não basta amar, é preciso respeitar!
Não basta querer, é preciso poder!
Não basta desejar, é preciso lutar!
Não basta trocar, é preciso reciclar!

Não precisa procurar, basta esperar!
Não precisa insistir  na ilusão , basta desistir "desiludir" !

E parar? é andar!
E sofrer? é crescer!

Fraco, oprimido corrija o mundo!
Deixo a façanha do quebrar nozes para o papai noel.


Nilzangela Souza



sábado, 13 de setembro de 2014

Louco

O surto da alma ardendo no fogo do amago espiritual
tardio chegou eclipse cinza rasgando a ilustrada rosa aveludada
Batuque, pincel,areia jateada, olhos de encanto, juventude, papel lápis colorido coração oprimido
Ar desértico, politico antiético, lua sofrida, terra comprimida, água poluída. O fogo humano queima
abelha . Queima o humano o fogo "ego" esse fogo latente, pulsante... Esse escarnio depressível. Qual indelével prazer? que ilaria dor humana que invoca tanto mal? é-me difícil crer que exista uma solução!
Pregadores!
Predadores...

Nilzangela Lima

sábado, 6 de setembro de 2014

Adolescentes

A linha da mansidão nociva esta cada vez mais presente nos dias de hoje. O prazer imediato esta aleijando essa juventude!
Desperdício, vicio, descaso com o tempo...
Desculpas, mentiras, disfarces fazem parte do menu
Qual tamanho do cisco na pupila? ou qual o tamanho da mascara de argila?  não posso mencionar ébano, pinheiro, cerejeira...
De um modo ou de outro, no sul ou no norte são quase sempre óbvios os motivos pelos quais esses jovens justificam a leseira cultivada dia após dia.
Movidos por instintos, comem a própria carne!
- consomem-se  bem devagarinho sem tempo para perceber  o buraco que jamais será preenchido!
Tamanha indiferença parece ser plantada, fulano e beltrano é sortudo e sicrano zoiudo...
Triste! não conseguir olhar para si.
A puberdade chega a brincar com a cegueira, a coitada torna-se fichinha perto do adolescente com tamanha falta de respeito consigo.
Ideias abauladas, atitudes horizontais, sonhos verticais sem começo e sem fim.

Nilzangela Lima

 

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Injuria

Todos temos escolhas diárias
Escolhas que mudam inícios e  fins
Coisas inesperadas caem como estilhaços para egoístas natos
... ainda resistem " Lolitas" povoam todo oceano seco
Humanos,  almas e flores ; descalços de valores, desprovidos de amores
 segundos passam
... esses espíritos falidos,  presos em carne sem cerne!
O lodo, o nojo, o convívio anulado; Lolita agora é coisa do vizinho do lado...
Veja a alma pelada, o corpo vestido, o espirito oprimido qual será o sentido?
- Existir para um monte ou uns poucos pingados povos ou polvos!
 interessante polvo envolto em tentáculos ritmos mareados, embriagados da lucidez  ou melhor estupidez humana.
 Quem é o farejador?
 Quem decifra? quem é a desgraça?
 Quem é o culpado?
  Querer!
Saber?
Ver!
Suma pobre diabo! vai assombrar as sombras dos cegos vigilantes do peso sem medida.

Nilzangela Lima

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Engano


Tudo que parecia não parece
Tudo que parece não parecia...
O ritmo ditado parafraseado
Freio e disciplina uma combinação perfeita para evitar ruína
Arruinado ou arruinada tem imã " cuidado"
Cuidado é frágil
Frágil é o amor de Nelson e Joaquina!
Bastam uma dor de cabeça para diminuir o potencial da aspirina.


Nilzangela Lima

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Furikake -

Fui ao supermercado curiosamente encontrei um condimento " furikake" que até então era impossível achar em outro local que não fosse no bairro Liberdade, aquela embalagem triangular cheia de figuras saltitantes falou à minha memoria feliz!
...
 balõezinhos flutuantes
  partículas coloridas me remeteram à alegria de viver.
Caminhar pela liberdade garimpando especiarias!
Experimentando sorvetes das mais variadas aparências e cores,  lembro do melona  aquilo era uma afronta ao meu meu restrito paladar, lembro a sensação da primeira mordida naquele sorvete verde, macio parecia realmente um pedaço de melão geladinho escorrendo pela garganta humm que maravilha!  somente em  pensar, outrora esse sorvete  era raridade
  assim como furukake. Hoje
 podemos encontrar em vários supermercados ou quintandinhas japonesas. Isso tão pouco alterou o valor e o peso daqueles momentos de degustação seguidos de caminhadas
  nas galerias recheadas de olhos puxados e distantes tal qual a terra natal deles, enigmáticos como os montes orientais, lotadas como Tokio, porém sem  bonus  nada  organizadinho! mas isso  também faz parte do show atrativo por ali.
Apos caminhar uns quarterões entretida numa coisa e outra  , chegamos numa simpática pracinha onde aos domingos ficam espalhadas barracas gastronômicas de comidinhas e também artesanatos orientais onde podemos encontrar até umas coisinhas para decorar! 
Como um simples saché pode me  trazer tantos ganhos!
- como dizia nossa querida C. Lispector " as pessoas mais felizes não possuem as melhores coisas, elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. 

Nica Gomes





!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Vácuo

Faixa etária... desassossego, outrora luxuria
Desproporção... emocional...impregnada em quase tudo.
Predisposição... ética... ver além ou aquém de tudo
Aprendizado sem passado... intranquilidade
Viver sem abandonar ou abdicar de habilidades adquiridas
Nascer para o pavio apagado
Acender o nascer do pavio
Desnecessário sossego... aleija visão, ação...
Deslocada sensação no vácuo.  
Nica Gomes

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Muro - sacada

Normalmente ser normal é anormal !
Anormal ultimamente é normalmente normal !
Afrontar o louco é sem graça!
Desacatar  o ignorante é perda de tempo!
Pensar demais em pessoas de menos é creditar bônus em cartão perdido!
A casca é casta ...
A carne soberba, a língua crespa..
Enfrentamento é descontente ...
Descontente é gente sem dente cheio de carne pra comer!!!
Comer é coisa boa, mas não é para qualquer pessoa, somente Deuses degustam o resto é resto...
Resto de palavra, resto de adjetivo, resto de paliativo...

Nilzangela Souza


sábado, 23 de agosto de 2014

Filme

Assistir uma película duas vezes é enfadonho! por mais que desejamos mudar a leitura
de uma cena, ela será a mesma, o ângulo será igual. Então analisar um filme na verdade
é analisar nosso amago. Em determinado instante tudo que fazia sentindo já não tem o mesmo peso ou a mesma medida.
O enfadonho começa a ser desmistificado de maneira fria e calculada.
Um tipo de pena curada ou um tipo de orgulho furado ou quem sabe consciência!
Essa tal consciência é uma lapada na inocência, tornando-a adulta e chata ou quem sabe autêntica.
Exposição em excesso; como disse nosso querido Gilberto Gil "desnecessário " dai eu pergunto? para que? e porque? descortinar ideias ou ideais que somente tem relevância para nós mesmos?
-- Há sentidos que mesmo sendo contado mil vezes não serão  compreendidos nem tão pouco bem interpretados por Querubins ou Querubinas.
 No entretanto o filme começa a fazer sentido no momento em que você para e escutar; sua compreensão! não é estranho? embora se pensarmos;   cenas corriqueiras são táteis, digestivas. No entanto o perigo mora ao lado, começa exatamente neste ponto que teoricamente seria o ponto de chegada, este,  torna-se o ponto de partida.
-  Assistir outra vez o mesmo filme? abrir as entranhas dos significados e signos? ou devorar todas falas  ? . fácil? - meu caro minha cara mudar o ângulo é algo maçante principalmente quando o pescoço é duro.
 O filme pode ser contado de maneira enfadonha ou risonha esta em nossas mãos torna-lo novo ou velho. Casual ou formal! tudo vai depender do nosso olhar naquele momento, e não do filme.




Nilzangela Lima

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Varal

Nova morada, velha morada, nova rosa, rosa nova
Rosa vermelha, amarela, branca desabrochando aveludando
olhos de encanto.
Encanto moroso, vista brilhante!!!
Invejoso à vista pensa e não conquista, fala e não faz
Ânsia de contar os dedos enquanto admira a varanda alheia
Tudo andando, abelhas trabalhando
Amendoim, benjoim, carmim
Karma,?
Darma,!
Solução?
Castigo?
Bondade!
Maldade!
Piedade?
Ação do tempo...
Cozinhou em agua morna!
Acordou o sapo cururu...


Nica Gomes
    

domingo, 17 de agosto de 2014

Além

Visões do além sombras, assombradas, vultos voam  apressados
Vultos aflitos, espíritos falantes, melancolias  dançantes
Crianças dançam cantam chorão... meninos gritam balançam e cansam
Bexigas cheias , balas de  balões e pensamentos que vem e vão como ventos
Ventos alegres aerizam sorrisos tristes
Tristes são pensamentos deletérios !!! que teimam em pousar nas mentes felizes
Felizes são pessoas e não personas.


Nica Gomes

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Razão bruta

Emoção foi embora, saudade ficou  vazia. Cresceu a lua encheu a noite; " à la  lobisomem "
Espinheira danada essa tal saudade!
A razão bruta faz  gelo quente, faz a mente virar juju!
Juju me remete à Dona Tintina toda manhã passando cheia de molambo e sua trouxa de trapo. Caminhava sem parar os  trezentos e sessenta e cinco dias cumprindo suas promessas a Deus!
Lembrar daquela senhorinha me fez sentir o cheiro do medo, o desconhecido pois a casa de dona Tintina tinha fama de mal assombrada, somente de passar na frente do enorme portão de sua chácara  meu pequeno coração palpitava, meu ritmo acelerava, enquanto a casa de dona Tintina não saísse do alcance de minhas pupilas, meu coração não sossegava. Engraçado o desconhecido nem sempre pode ser ruim, mas a sensação é sempre ruim.
A ingenuidade é bruta? ou cega? o medo é ruim? ou ruim é o medo?  é sabido que todo bicho bruto esta acuado! então porque é tão difícil captar? são tantos os poderes sobre as sensações que a própria razão bruta desconhece.



Nilzangela Lima.

domingo, 10 de agosto de 2014

Revelações

Onde encontra  fumaça nem sempre encontra fogo!
Mas onde encontra fogo sempre haverá fumaça...
Alguém especial um dia foi mal ! mesmo assim sempre será especial!
 Pedra  ribanceira abaixo,  o fardo é grande;  mesmo descendo... não deixa de ser pedra!
De repente azul depois ficou roxo e  amarelou... tudo acabou... e agora Maria?
Como um brilhante tão pequenino pode ser tão valioso? como alguém tão doce pode ficar tão amargo?-  como caracteres são importantes!!!
Como um pensamento esfria uma ideia !, ou uma ideia esfria um pensamento?
Lá do outro lado do oceano tem alguém me esperando para cantar e escrever estórias de ninar!
Ninar paixão, acalmar coração sem causar adoração... simplesmente admiração
Admiração absoluta pela conduta...
E por falar em conduta percebi que "palavra tem perna curta, não alcança coração!
Coração é coisa da mente que é tocada com atitude de gente!
Gente de verdade com lealdade e convicção, é meu irmão! existe amor além do amor?
Você pode me traduzir ? " amor além do amor" ? - acho que não.
 Esse  cujo mencionei  não se explica, não suplica, não implica, apenas facilita... e felicita !!!
Felicita parece  nome  pessoa boa.
Quem sabe Deus, você já conhece essa pessoa.
Pessoa de verdade, é com, ou sem vaidade?
Vaidade!!! tu pensou que essa vaidade vinha de beiço pintado? vestido rodado? ou brinco perolado?
- errou!
Vaidade tem fama brilhante, mas na verdade ela é acetinada disfarçada, as vezes vem vestida de fada.
Cuidado que ela pode te pegar sem você esperar!  será que se espera vaidade? cada coisa! hora , hora hora vamos  mudar de saco para mala. E voltar para a fogueira humana, o veneno libertino, a cegueira
de Joaquina. Todo dia é santo, ou melhor todo santo tem o seu dia.
 Hoje pode ser o seu.



NIlzangela Lima

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Poeira

Tinta, poeira, sinusite, enxaqueca dor de cabeça...
Feijoada, macarronada, churrascada trancada no meio da bananada
mas que palhaçada tudo e nada.
- Choro sem consolo, cachorro sem dente
gente que finge gostar da gente.
- Muda mudança, de repente cheio de esperança, uma estrada com rumo a oeste
Acredite tudo muda o tempo todo, independente de sua vontade tudo muda o tempo todo.
 ... Leve brisa do álcool sem festa.
- Deletérios pensamentos rabugentos! ou autênticos?
Claro, escuro, colorido, preto, branco, verde, azul pele.
Sono do tolo triste aveludado, encapado por dentes grandes e falsos
falsos como ostra aberta.
Mimos são caros!!! por traz de toda palavra doce tem uma intenção amarga!
Acabou o tempo... obrigação do amor incondicional.


Nilzangela Lima



terça-feira, 29 de julho de 2014

Habito

Alegria triste, triste alegria, vida com alegria do fazer e acontecer !
- de ser real !
- realeza, realidade sem pureza!
Dura circunstancia, amarga lembrança, recebimento incompleto, pessoa , passo, piso,chão
situação, porção egoísta!
Ego da rapariga doce e quente que logo se tornará demente e sem graça...
Graça é também nome de gente!
Gente que nem arroz, basta uns minutos em fogo brando e logo amolece e gruda...
Grudar sem  respeitar é mesmo que não amar!
Amar o tempo!!!
Pois o tempo como diz dona Nira; à tempo para tudo nesta vida.
Tempo para pessoas subestimarem a inteligência alheia
Tempo para decretar falha e concertar
Tempo para amar como uma criança
Tempo para odiar como adolescente
Tempo para sorrir como louco
Tempo para correr como maratonista
Tempo paraplégico
Tempo para pensar como analista de sistemas
Tempo para agir como peão de obra
Tempo para chorar como neném
Tempo para sorrir como um velhinho
Tempo para sentir saudade infinita
Tempo de falar como três comadres
Tempo de calar como monges
Tempo para zerar como Sidarta ...
Harmonizar o tempo com acontecimento  tinta, pó, poeira, cor do mar em sala de feiticeira.


Nilzangela Lima


 

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Sonhos

Sonhei que sonhei o sonho!
O sonho da minha vida!
A vida que precisa ser  vivida e sonhada  mas sempre  mantê-la  acordada !
Como viver em conto de fada, numa vida que teoricamente estaria desalmada, amargada...
por pesadelos de andarilho  cupim, que outrora corroía bem devagarinho; no entretanto gloria!!!
-  Cupim,  acabou pesado e sozinho.
Sonho é para quem sonha com a alma!
... não para quem sonha  com  interesse de arrancar o que nunca pode ou poderá  possuir...
E se algum dia vier a ter "  algo    " difícil...
Nem assim, o universo poderia enriquecer um miserável sugador.
- Este sim; é um consolo para qualquer alma valente!!!
Sonho é algo tão rico quanto o próprio sonho concretizado, porque o verdadeiro sonhador é aquele que  sonha enquanto adormece  e acorda  realizando  o sonho.
  Sendo amante do trabalho, esposa do compromisso, apaixonada pela pontualidade, enfim realizando o eterno sonho laço de casamento
com o trabalho e o amor ou melhor amor e trabalho.


Para realizar qualquer sonho tem de existir tal lealdade que nada nem ninguém possa abalar
                                        o " seguir em frente"
sem olhar para traz.
 Existem pessoas tão especiais e brilhantes que jamais irão morrer no passado, superam as pessoas más que o destino põe em nossos caminhos para aprendermos a olhar nos olhos dos vampiros e reconhece-los.
Falando em sonho lembrei de alguns relatos de uns amigos Joaquins
-  um deles me confessou que seu maior sonho era comprar uma lata de leite moça e galeto assado e comer sozinho !.
 Outro me confessou que gostaria de se filiar a um partido da esquerda e viver uma vida desprovida de vaidades.
 Sabe qual a moral da historia? -  o primeiro Joaquin hoje pode comprar zilhões de leite moça e zilhões de galetos assados, o segundo Joaquin é um consumista de extrema direita. Ou seja os sonhos dos Joaquins se multiplicaram em função da luta concreta em manter seus sonhos
sem corromper os respectivos valores. Continuam pessoas boníssimas, lutadoras e brilhantes.
E o segredo do sucesso? - Sonho!
Sonho, sonhando realizando trabalhando honrando cada palavra!
Trabalho horando realizando o sonho sonhado.
E viva os Sonhos de Nelsos, Joaquins e Marias.




Nilzangela Lima

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Perto/Longe

Chegando perto do longe, mas o engraçado é que o longe continua perto!
Ao lado mora dona distancia, ela desconversa sobre esquecimento, mas continua distante...
comprido cílios abre e fecha, fecha e abre luz e sombra entre e sai. Será que um dia ficará claro?
tão somente o perto do longe... Viver, ver, ser, ter, poder.
Poder do perdão...
Poder da compra...
Poder da venda...
Poder de persuasão...
Poder da paixão...
Poder do poder...
Poder de amar por amar!
Perplexidade é pensar que conhecemos alguém, esta é uma façanha inalcançável, voce chega mais longe do que perto. E bem perto do longe.
Pensando na armadilha na matilha,  na mentira quanta ira!
Viva o vento!
Viva o sopro oco do oceano!
Viva o credo, pois viver sem ele...
Viva o canto cântico soprano.
Viva a gloria!
Viva a vitoria,
Viva ao retorno!
Viva o novo.

Nilzangela Lima

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Ducho

Você vaso cheio e vazio, junto e misturado!
Duvida gorda...  raquítica ...pensando em você!
Senhora que deu a Luz!
-  para não dizer ...!
Lembro de você com suas inúmeras criticas...
Dos seus argumentos socráticos !!!
Você tirano insano atirando palavras pelo chão...
Você vibrando!
Você cochilando no sofá!
Você trabalhando!
Você me fazendo deleitar em sua biblioteca ambulante, como  sinto falta de nossas longas conversas!
- daqueles momentos em que riamos de nós mesmos ou de todos ou melhor tudo a nossa volta!
Poxa vida veja so eu e você, tão longe e tão perto, tão decifrável e tão misterioso
Que angustia essa distancia se aproximando, a cada dia que passa meu coração aperta mais. Meu grande
e amado amigo, como Deus foi bondoso comigo quando colocou você em minha vida.
Te amo, te amo e sempre te amarei meu amigo.

Nilzangela Lima

terça-feira, 8 de julho de 2014

Café

Segredos que poderiam paralisar... movimentam!
Motivos que pareciam óbvios,  claros, resolvidos de repente fitam olhos inibidos!
Mudam, mudanças, lembranças,esperanças TELEPATIAS...
Simpatias, empatias, trocas de segredos  em dedos    de palavras
Palavras!
Sintomas! 
Sentidos!  
 Expandem! 
Paixões?   cream cracker !
-  repercussões de antigas traições, fizeram transformações!
Transformações, transmutações cooperações!!!
Deleitam... fatos e feitos...
- Respeito antes do leito? existe!
Sim! ah sim ai esta situação inusitada jamais imaginada ou sequer pensada, realmente inesperada!
Um misto de alegria e dor, de chegada e partida, 
Como casar um filho e ter a ideia  de missão cumprida a mescla de tristeza da despedida
Como sentir sede e ter um cubo de gelo nas mãos!
Como leite condensado sem açúcar! 
Estranha força maior , claro como a noite de lua minguante, escura como noite de lua cheia em ilhéus, arranha-céus e estradas.
As maçãs dos rostos pareciam estar em pleno nordeste enquanto que os corações estavam no extremo sul.  
Os desígnios não sabemos somente aquele  lá de cima, sabe as razões deste rosário. 
Lamento é coisa do passado agora é hora de anjos de todos os lados
- entorpecida distancia, tristes mudanças! 
- talvez egoísmo  dentro da capsula desta dança!
Dança do amor que até pouco, achávamos incondicional,
mas o que é incondicional afinal? 
Bem! devem  haver   muitas explicações, no entretanto nenhuma delas
seriam plausíveis, pois como canta nossa querida Mariza " a dor é minha e de mais ninguém".
Passa o tempo, passa o passo, passa porta, passa janela, passa vento, mas nunca vai passar a luz daquele primeiro momento " madrugada solta soltando
palavras de quereres "queres ficar comigo?" passou !!!
Passou entre aspas... pois as aspas ha de viver e sobreviver ao tempo, à dor, à distancia
à discrepância dos salgados momentos passados.
A saudosa, à dolorosa, à maldosa saudade, irá sobreviver sobretudo por tudo que vivemos. Tenhamos estradas, tenhamos rios, tenhamos mares, tenhamos vidas e vidas
vidas eternamente.


Nilzangela Lima

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Besouro Talhada

Besouro voando avisando mal agouro
Já dizia Marinalva agouro é algo tão ruim  que nem ladrão acaba!
Acabou Manoel ficou Marinho que continua com Benzinho
O surto, o sopro, o assobio sombrio
A morte é certa, a vida é incerta dentro da certeza finita
- Sopraram    Talhada pela madrugada!
Madrugada fria escura e dura doce como rapadura, melada como mel, enjoada como féu...
Talhada foi réu do vicio queimado, rasgado, alastrado
Queimou, queimou, queimou ritmo raquítico
Tristeza absoluta final   de um, inicio do outro!
O inicio de uma fortaleza sem beleza, necessária para destreza
Céltica dor! - incolor?  apenas dor !
Dor do adeus não falado, do nó atado, da oportunidade em segredo
vinho da morte encorpada, fala da morte, tempo da morte...
Carne explodindo, urubu zumbindo, e o resto do mundo rindo...
Rindo do vazio la do rio vermelho
Tem uma tristeza santa, insana, profana!
Verde porque te quero sentir maduro!
O adeus, o nunca, o não!
- são palavras do cão...
Cão atenta, atenta para ver se sua mente esta lenta...
Lenta, grudenta, chulezenta ou quem sabe cinzenta!
A coalhada talhou talhada rachou, ressecou ...  segue em nova estrada.

Nica Gomes


quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sapatilha

Pernas e palavras adjetivos e substantivos
Idas e vindas, céus e terras
Mares e areias, tecnologia e magia
Criação e sepulcro
Dias,  dias,  anos e anos ...
O que foi dito, dito foi...
 Carinho é o carrinho condutor dos cílios.

Nica Gomes

domingo, 22 de junho de 2014

Naiane

Pense num carinho carinhoso
Pense num beijo beijado
Pense num pensamento aerado
Pense num pecado rasgado
Pense num amor amado
Pense numa saudade saudosa 
Pense numa alma Almada
Pense num hormônio crescente
Pense numa fúria fria 
Pense num perdão perdoado
Pense num abraço abraçado 
Pense num espirito espiritualizado 
Pense na beleza bela
Pense numa admiração admirada
Pense no vicio viciado 
Pense no olhar olhado
Pense no sono sonado
Pense na telepatia telepática
Pense na imagem imaginada,
Pense na palavra suada,
Pense no áudio silencioso 
Pense no orgulho orgulhoso,
Pensou??? tudo isso tem um significado minha filha irmã.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Surto de barata

Surtos e surpresas, gatinhas e tigresas
Molezas e durezas
Rastros e pastos
Galinhas e patos
Cobras e lagartos
Cavalos e carrapatos
Piruas !!! pisam nas crias!!!
Crias crescem  aprecem enquanto  outras esquecem...
Fardos dos fatos cotidianos com os bois mexicanos
Onde estão os touros valentes ? que não temem gentes?
... AGentes... !!! fracas!!! chatas!!! parecem coros de baratas!
Baratas trocam de saias, pessoas trocam falas em suas salas
Salas de estar... salas de jantar... salas de banho... salas de bares... salas de mares. 
Nica Gomes

quarta-feira, 11 de junho de 2014

12 de junho

Uma proposta pré combinada ou seja mais uma data comercial
O que deveria ser uma troca de amores e sabores carinhos, deguinhos
Espalham-se ...
Quero X
Quero Y
Quero Z
Se não... não serve!
precisam satisfazer  perguntas alheias...
Não, não mil vezes não ao amor!!
Assim caminha a humanidade do consumo absoluto e extraordinário!
Como dizia o querido Cazuza faz parte do show...


Nica Gomes 

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Vidas

Tulipas rajadas, lagrimas trabalhadas
Tartarugas brancas, pulseiras egípcias
Amores cristais, vidros portas e janelas
Casas e contos,  asas e gotas...
Gotas de perfume, gostas de leite, gotas de sabores...
Litros mistos veem devagar e vão tão rápido.

Nica Gomes



  

sábado, 7 de junho de 2014

Data comercial

Paralisia , naftalina, retrospecto, afinidade, dejavu
Curva de pensamento, contradição de ondas indo e vindo
O segundo perdido, o minuto diluído,a hora partida
Assisto ao espetáculo conhecido por " compre... compre" um pretexto comercial
de consumo desenfreado.
Mas também assisto à outro show onde  ações universais intercedem, e uma delas
 " a lei do retorno"
Este inenarrável    show faz toda diferença.
Ontem chegou tão rápido, parece hoje!!!
Compre, compre, compre vista esta hipocrisia.
inutilmente esconda-se do real.

Nica Gomes

  

terça-feira, 3 de junho de 2014

Trepadeira

A trepadeira  chega de mansinho como quem não quer nada, um agrado aqui, um agrado ali, e de repente lá esta a trepadeira devorando o franguinho!
Ah   gosto valente, come galetos quentes! 
a trepadeira sentada com um não,  trés franguinhos que outrora ... 
 Trepadeira fisgou,
- agora pense! 
o que será que se passa na cabeça de dona trepadeira?
 observando os franguinhos que outrora fazia parte de seu cardápio?
 ... de longe ela parece nostálgica e infeliz.
 Hora veja o tempo passou os frangos cresceram e a trepadeira ficou à margem com suas lembranças.  

Nica Gomes

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Presente - Dandara

Despertei...  abri a janela...
 coloquei minha princesa para voar
... em segundos ela voava pelo horizonte
... de repente
ela surgi  com negros e longos cabelos ... flutuando suavemente
 em meu quarto
 pouco a  pouco seu corpo foi descendo até sentar em minha cama...
 com algo nos braços parecia  um manto dourado...
que  envolvia algo...passado segundos
ela  disse; um presente dos deuses!
...toquei carinhosamente no manto abrindo lentamente
  desvendando o que estava envolto naquela fazenda
 Para minha surpresa...
... me deparei com uma coroa cravada de pedras brilhantes...
 de terras distantes ...
boquiaberta,  perguntei é sua, minha querida?
ela respondeu; não mamãe os deuses enviaram para você.

Nica Gomes

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Laços de familia

 Laçadas convicções, laçadas dores!
 Laços com traços ancestrais!
Laços de fitas uterinas, laços em cabelos de meninas
Laços musculosos e desenhados
Laços líricos 
 Laços  lírios    
Laços    de compassos 
Laços dos lados opostos
Laços embriagados de amores amoras!
Laços tardios 
Laços sadios de sedas chinesas.

Nica Gomes 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

De repente azul

 Passarelas movediças atiçam  pupilas mestiças !
Pupilas luminosas assanhadas escalam montanhas emaranhadas!
- Novos planetas cheios de canetas!
 Muros invisíveis agitam atmosferas palpáveis cores e cornetas, bolas e lunetas
tambores e sabores guarda-chuvas e flores
Pirulitos e   balas, palitos e falas!
Luzes coloridas em passarelas corridas, planetas que parecem quintais estrelados
trens alados, pinturas puras, cores primarias onde os trens se transformam!
 - Pipas! papagaios!  cocegas em cotovelos risonhos, bolinhos e sonhos!
Biscoitos dos céus , pães de mel,  bolachas  mareadas, balas carameladas, sapatos mágicos,
 chupetas acesas, alegrias obesas! bochechas turquesas, plantas tigresas, planos de presas,
presas valentes devoram tapiocas quentes!
Quentes são   pipocas saltitantes que brincam como elefantes em bocas infantis.
Rosas, laranjas, amarelos e franjas; de repente viraram canja?
Canja!   de galinhas sem penas nem asinhas!
Asinhas de feijoadas, mas que coisas engraçadas nunca me disseram nada sobre   feijoadas aladas!
Aladas são fadas sem dentes? que voam sentadas em pentes!
Pentes cheios de lados e frentes sortidos de penas e sementes
Sementes de alegrias que nem vitrines de  padarias.
Falando em padarias lembrei  da mais bela de todas sementes de alegrias " a padaria do seu Zequinha,    um carequinha cheio de pintinha, sempre sorridente parecia um boneco, mas era gente.

Nica Gomes

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Emoções

A dor com  uma postura ereta sentada numa banqueta em frente a um  lugar curiosamente conhecido como galpão da morte, observava a vida sem vida!
 mas de repente, 
resolve levantar, devagarinho para matar sua curiosidade e adentrar,   observar os olhos letais daquele buraco.
Quando sem explicação, do nada! surge  ruidos...
São  passos arrojados, agitados   rapidamente a tristeza vem chegando
a dor vai ficando tensa corre até o lavabo abre a torneira e lava a cronologia juvenil  em água gelada
enquanto cronologia chora, grita!
 A dor solta a cronologia,  sai correndo ao encontro do desespero.
 Os dois caminham
em passos largos olhando o tempo todo para traz  fugindo da tristeza  e da cronologia, assegurando que ambos  não os alcançassem..
  Porém o destino entrou em cena,   colocou dor e desespero  numa viela do passado magoado!
- logo a dor e o desespero entram numa desestrutura emocional onde existem frágeis astis melancólicas, eles avistam de longe  uma grande janela e no calor da emoção  cruzam as mãos, e pulam!
porém
   ficam pendurados
numa parede de tijolinho à vista 
E da-lhe vista nisso...
à vista
do
 "paraíso das idéias e ideais para viver".  

Nilzangela Souza

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Pedra Verde

Parecia  mármore vindo do outro lado do oceano 
Possuía  cor singular,  textura impar,  temperatura de arrepiar!
Parecia seguro, parecia puro,claro e não escuro!
Parecia ter vindo do ar ou de oxalá! 
Parecia  melodia envolta em ambrosia!
-  Sabe aquela musica com cheiro, cor e tom de poesia!
Parecia um vasto gramado com  todas forças imagéticas possíveis!
-Olhos de mel !
-  não fel...
No entretanto a cor do gramado de perto era cor de pecado,
... um troço melado, quase esfarelado! 
...quando abraçado...  fragilizado era  óleo queimado,
...    textura de móvel usado,  réptil  temperatura quase sem cura!
A pedra era verde, mas não era pura era feia e cabeça dura. 

Nica Gomes

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Despedida

Chegado a hora! tristezas invadem, rasgam,testam e atestam verdades
velhos vinhos aveludados, pagam todos os pecados
inimagináveis  abraços desfeitos
Ardidas  fêmeas dores  dos vales perdidos
dos gritos implodidos.
Escorrem pelas veias periféricas sentimentos azuis
cotidianos rosas à conta gotas.
Calafrios  peridurais aguçam lagrimas guardadas...
Feitos desfeitos como leitos vazios.

Nica Gomes

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Tarde Rosa

Tanto faz palavras doces ou salgadas...
Tanto faz gestos quentes ou frios...
Tanto faz promessas ou mentiras...
Tanto faz calar ou falar...
Tanto faz amar ou se apossar...
Tanto faz pedir ou mandar...
Tanto faz rir ou chorar...
Quando existe vicio do convívio  alheio aos princípios " primordiais ou vitais" para sua vida.

Nica Gomes

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Tarde cinza

Aviso desavisado,
Atitude acida clássica,
Ilusão desiludida,
Secreção perdida,
Fase invadida,
Água fervida,
Magoa ardida,
Tempero do tempo é questionar momento!
Tolo erudito que se diz bendito!
Bendito seja o agora!
Agora é para selar ação!
Ação é uma benção assim afirmara Salomão!
Então me diz, querido aprendiz!
- qual rumor te causou tanta dor?
Dor é coisa chique!
Traz consigo discernimento de pedra e sabão

Sabão  funciona como complemento...
Enquanto pedra, é pedra, sobre pedra!
E ponto, talvez de continuação ou final.

Nilzangela Souza


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Conversa de amigo

Conversas soltas, adjetivos saltitantes
pulando de saber em saber com doutor, locutor, lavrador... fazendo coletânea intermitente do dialogo...
a importância de dar importância; lembrar! devemos nos comunicar e apreender nosso cotidiano...
Mergulhar na produção,  absorção total do que chamamos felicidade é apenas um ícone...
A busca é infinita árdua mas nescessaria chega a ser visceral essa troca de saberes!
Falar, escutar, prosear... com um amigo eta palavrinha pequena e poderosa essa tal " amigo.

Nica Gomes

sábado, 5 de abril de 2014

Simples assim!

A simplicidade traz satisfação plena
cultivar o sorriso solto, o abraço maroto
a terra gira mais devagar!
Caminhar o passo do compasso do pé parece obvio
como gato come rato, mas não é.
- justamente no obvio que  percepções incríveis imensuráveis  são perdidas
em meio a um dia e uma noite que jamais retornaram!
O amor! ah o amor! o amor puro entregue a esmo do sentimento alado sem sabor de pecado
apenas amor.
Esse que enche agente deixando coração quente adormecendo tudo que era dor, como canela e leite quente que aquece a garganta da gente quando arde de estopo. Indescritível é o calor  de quem ama e é amado.
A simplicidade custa muito caro, meu caro! para conseguir esta proeza tem de comer muita brasa acesa
até chegar as "koisas koesas do kotidiano".

Nica Gomes

segunda-feira, 31 de março de 2014

Hoje

Vestindo tempo com sabor de vento
Calçando momento com sabor de pensamento
Usando luva como cacho de uva
Sonho vivo como sexto sentido
E para explicar?
- decifrar ?
Qual  sentido!se sonho é para ser vivido...

Nica Gomes 

sábado, 22 de março de 2014

Ponto do amor

Composto de tempo e vento, salpicado de terra e flor
-   fundamental servir em zero graus !
acompanhado com partículas de paciência que plasmam  amadurecimento!
... cor e cores  se enlaçam  se movimentam,  vão ao encontro de vaga-lumes que excitam os olhos da noite  tímida...
múrmuros dançam no ventre amado da espera à espera encantada horas magicas se aproximam
Outra era, outro ciclo!
Felicidade com ansiedade, horror com amor, angustia sem tremor,
tão novo e tão surrado, estupor e dor...  tanto sonho acordado, tanto pesadelo adormecido,
pingos salpicam em minha janela como gritos amorosos   anunciando meu desejo por você aqui.

Nica Gomes




  

sexta-feira, 21 de março de 2014

Contagem perdida

A viagem que  tinha destino!
A parada seria numa alameda onde  conviviam pessoas que se amavam e respeitavam
tudo era tão fácil e decifrável, tão transparente e palpável.
Vejo janelas coloridas e seguras,  ventos e relâmpagos comunicam escolhas impensadas
movimentos cíclicos evidenciam fatos e fotos imperdoáveis.
Os controles no chão, as cortinas leves esvoaçam com tamanha suavidade dos pássaros matinais!
Porque encontrar inimigos normais? para que sofrer com noticias de jornais?
Para que ficar ao lado de pessoas dúbias? porque confiar em poço sem fundo? para que escolher futuro incerto? porque chorar pelo passado? para que lamentar tudo que tem de errado?.
Cerejas vermelhas me assistem, movimento minhas pálpebras como folha na brisa matinal .
Tanto tempo para pensar e pensar raciocinar, escolher evidenciar o que tem para viver!
Porque engolir  dinossauro?
- extremidades finas e corpo largo!
Covardia chutar cachorro morto, ou será fingindo-se morto? triste cadela supostamente viúva
chutar ou não chutar eis a questão à analisar!
Cálculos e caluculos divagam cérebro a fora buscando uma razão para calar a boca que não quer fechar, a língua que não quer parar!
Energia desperdiçada com galinha desfaçada, como existem cocorico...
Mostram afinal opções ou aberrações? somente parando para analisar olhos e olhares podemos encontrar as verdades escondidas dentro das ações oprimidas.
Triste descoberta tardia... o cheiro do tempo perdido paira no ar!
Vida, vida, vida... mais uma noite estendida, contagem regressiva para o próximo degrau cotidiano.

Nica Gomes

sexta-feira, 14 de março de 2014

X -tudo

Pessoa,gente,povo,aglomerado...
ideia,plano,projeto,
...mãe,marido...filho
tempo...idade...espera...
 breando  desespero,  quase insano
 ...correndo... gritando...
será pesadelo?  realidade?
... conter angustia mais esta que cada dia piora!

exatamente como o proverbio
 " a semeadura é livre mas a colheita é obrigatória"
Se misturou com porco? farelos e farelos come...
limpar o chiqueiro é árduo...mas não impossível.

Nica Gomes

quinta-feira, 13 de março de 2014

Furta cor

Comparada açúcar mas é adoçante!
Comparada depressão é  tristeza...
Comprada alegria é depressão!
Comparada  flor é botão!
Comparada planta é raiz!
Comparada virtude mas é paciência...
Comparada solidão é auto retrato.

Nica Gomes  

domingo, 9 de março de 2014

Enigma

Uma palavra forte e pesada no sentido literal
Como é difícil gerar, pulsar,
Ouvir e sentir o gritar dos hormônios
Acordar com a mandíbula pesada de ranger os dentes
Caminhar como se o quadril fosse descolar a qualquer segundo ou quem sabe o útero despencar!

 A pele  estica a cada dia o desconforto é diário
essa que chamamos gestação na verdade é adaptação ou espiação
um calor imenso invade o corpo o cansaço  vence o sono, as dores são diversas,
dores no quadril, na barriga, no estomago, na bexiga.

Que loucura!
Os hormônios pulsam, latejam!
Alteram  todas sensações desde as mais singelas cotidianas de uma voz que soava branda, até aquela que chega  em ruanda...
Um gesto antes inocente  de repente fica indecente...

Angustia, choro sem consolo...
Um vazio interminável...
Criação de situação maluca, indigesta...

Indescritível desconforto ... louco!!
Que vai transformando a vida pouco à pouco...
Solitário e misterioso pacto silencioso, doloroso esse conhecido pacto de mulher
Mulher valente, torna-se carente!
Mulher independente de repente surge mulher dependente...
Na camada rustica da terra nasce  magia lúdica de mulher.

Nilzangela Souza

sexta-feira, 7 de março de 2014

Sinais

Aviso desavisado
Atitude acida clássica
Ilusão desiludida
Secreção perdida
Fase invadida
Água fervida
Magoa ardida
Atitude fedida...

Nica Gomes

domingo, 2 de março de 2014

Agora

Feu jas!
Agora mel se fez!
Estava fosco, agora brilhante!
Estava quente agora frio!
Estava doendo agora curado!
Estava salgado agora doce!
Copo de gelo derretendo calor!
Silencio adorado
Paz esperada
Cirurgia sem hora marcada...
Movimento sem tempo...
O equilíbrio chegou para morar.
Nica Gomes

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Decepção

Um lugar intocável
- solida invenção vampiro diurno
Flor, planta, fruta, de repente fica tudo fora de ordem
Palavra  tão afiada que se faz  guilhotina, degolando todo sentimento!
Dor extrema, músculo, massa...
Perdido fanático por lunática...
Grito perdido no canto da boca roca...
Cristo, cristo, cristo crer e crer e crer...
Vejo o diabo ele não tem rabo, nem chifre, tem cara  feminina
feito josefina, até parece inofensiva essa menina...
Não se engane essa coisinha é uma erva daninha... coitadinha basta jogar um pouquinho de veneno
para ela desaparecer todinha.

Nica Gomes























































































































quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Nicolas

A cronologia paradoxal...
Susto ao ver letras saltitando formando adjetivos  numa garganta verde!
Espanto! ao escutar sermões sólidos e não óbvios de cordas que outrora soaram desafinadas
Surpresa escorrendo dentro de cada lagrima morna...  a cada instante da palestra que fizeste!
- Orgulho, orgulho meu!
Donde escondeste tamanha sabedoria? amo-te!
Por amar-te demasiado, quase sufoquei tua sabedoria e encanto...
Peço-te perdão !
Amor, amigo!
Tamanhã é minha alegria ao ver- te...
Príncipe dos príncipes!
Sua voz açucarada, sua tês suave como uma brisa noturna transforma qualquer dissabor em alegria!
- Confesso!
Estreito esta meu peito de tanto amor!
- Divino por natureza, cristalino por essência!
Agradeço ao universo por ter me concebido este presente  " VOCÊ".

Nilzangela Souza


  

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Koesia

Desfecho de adjetivos passados, trazem reflexões que estavam alheias aos fatos cotidianos
Como desfazer ações e decisões?
-  reconstruindo  paredes sobre  muralhas quebradas?  tantos desterros, decepções, desilusões
todas soltas aos ventos nordestinos...
Tristes montanhas rochosas, moradias verticais preenchem minhas janelas auriculares.
Brisas quentes, pensamentos frios, sucos gástricos fervem... 
Noites como carvões    em chamas espantam todo colo noturno de minhas pálpebras
- Desconfortos  contínuos, pensamentos deletérios frisam insonias rescindentes
Palpites terceirizados irritam meu ser!
Porque existem tantas possibilidades nas cabeças das pessoas que assistem aos espetáculos cotidianos de fulanos e sicranos.
Eles possuem explicações e soluções para tudo e todos, desde que tratem dos problemas alheios!
Gelos, gelos, gelos, gelos e gelos... acalmam minha alma inquieta.

Nilzangela Souza


       

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Calor

No calor da emoção derretemos cubos  de razões, que por sua vez seriam
extremamente importantes não somente para o presente como futuro.
No calor da emoção jatos fictícios são lançados massa cefálica acima/abaixo/adentro...
Benefícios  que poderiam chegar, ficam longe...
No calor da emoção  laços se apertam, chegam a sufocar todas lagrimas de larimar...
No calor da emoção floresce insegurança, e logo murcha  paixão em função do calor da emoção.

Nilzangela Souza
  

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Gueixo

Existem vários exemplares no mercado:
- aqueles que dissimulam  olhares!
- aqueles que dissimulam  gestos!
- aqueles que dissimulam palavras!
- aqueles que dissimulam situações como camaleões!
- aqueles que dissimulam incapacidades em forma de carências!
- aqueles que dissimulam insegurança em conquistas vulgares!
- aqueles que ficam rudes ao serem questionados!
- aqueles que se apoiam em argumentos superficiais!
- aqueles que testam limites alheios com pervertidas atitudes!
- aqueles que se lambuzam de tanto cretinizarem  os parceiros, e acabam sozinhos...

Halegnazlin Semog


Higienizar

Desintoxicar a veia do pensamento deletério
traz bonança psíquica imediata,
o exercício é árduo no entanto possível
- ideal orgânico, driblar azia humana
parar e não pensar! organizar fato de fato
eliminar fictício trato para resgatar real necessário.

Nilzangela Souza    

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Branco

O espaço pode reunir pedra,pau, poeira...
O super lotado pode deixar de ter harmonia, intuição, premunição...
Adjetivo solto, prende ação de quem vive na defensiva...
Surto, ignorância, arrogância, mentira, cheiro de fracasso...
Vasta pressão interna, externa...
Funciona redoma quebrada, desmistificada ...

Nica Gomes

sábado, 18 de janeiro de 2014

Desejo

Sentido primitivo, cria, procria, vicia
até o sangue resfriar, congelar, paralisar
o átomo vestido descortina instinto!

- serpente troca pele...
- lagarta troca pele...
- barata troca  pele...

Gente mostra pele...
Pessoa mostra roupa que habita...
Persona mostra persona...

A cronologia traz desfecho do trecho
O oco toma conta do primi, primi, primitivo...

Nilzangela Souza


quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Nuance

A brisa matutina escorre pelos olhos
apagando reflexos ácidos do meu estomago.
Pele!
-  esta que habito fala ao grande universo
coisa e coisa...  alarme quase  falso...
Por alquimia da mão natureza !
De quando distante tudo, mais perto do todo!
Paradoxo no entretanto verídico mandamento da vida.

Nilzangela Souza

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Sangue

A linha tênue jas !
Tudo palpável à merce de mutação...
Parecia cintilante aquele que outrora chamei de sangue!
Hoje vodca de palavra acida
Perplexa trena deletéria...
Amarga hortelã grossa!
Tácita amalgama.

Nica Gomes        

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Mudança de habito

Minha garganta rouca louca extrema rangendo adjetivos
a procura de soluções rochosas.
O toque trazendo lembrança perdidas pelo tempo
Movimentos rígidos abalam e anunciam cenas leves
Cenas leves, amores pesados.

Nilzangela Souza



quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Decisão

Circula e não circula
Decide e duvida
Agir e congelar
Errar e não reparar
Seguir e parar
Horror imagético do amor
Piscada sem pestana
Fala sem voz
Decisão mascarada.


Nica Gomes





sábado, 4 de janeiro de 2014

Revelação

Formiga dissimulada...
Galinha calejada...
Barata encapada...
Que apareça todo estopo de sua pálpebra!!!
Intragável... quase insuportável sua unica arma à  oferecer é sua casca oca...
  que poderia  ter valor!
Valor é pra gente descente  que respeita ambiente   ...
Ambiente é coisa fina não é para qualquer menina ... que cresce sem queratina ... e sem amor...
Amor é coisa rara... diria que quase cara ... e tem gente que nunca vai sentir o sabor.

Nilzangela Souza

  

Casa do Poeta de São Paulo

Casa do Poeta de São Paulo
Presidente Wilson Jasa, Vice Presidente Adriano Augusto, Embaixadora Cultural

Movimento Poético

Movimento Poético

Associação de Poetas Portugueses

Associação de Poetas Portugueses

Casa do Poeta de São Paulo

Poderá também gostar de:

Postagens antigas

Seguir

Obrigado à todos visitantes!

Maria Ruth

Maria Ruth
Artista Plastica

Titulo - Criação By Nicah Gomes

Titulo - Criação By Nicah Gomes
Tela - Acrilico TM 1x20 1.00

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Translate