quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Decepção

Um lugar intocável
- solida invenção vampiro diurno
Flor, planta, fruta, de repente fica tudo fora de ordem
Palavra  tão afiada que se faz  guilhotina, degolando todo sentimento!
Dor extrema, músculo, massa...
Perdido fanático por lunática...
Grito perdido no canto da boca roca...
Cristo, cristo, cristo crer e crer e crer...
Vejo o diabo ele não tem rabo, nem chifre, tem cara  feminina
feito josefina, até parece inofensiva essa menina...
Não se engane essa coisinha é uma erva daninha... coitadinha basta jogar um pouquinho de veneno
para ela desaparecer todinha.

Nica Gomes























































































































quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Nicolas

A cronologia paradoxal...
Susto ao ver letras saltitando formando adjetivos  numa garganta verde!
Espanto! ao escutar sermões sólidos e não óbvios de cordas que outrora soaram desafinadas
Surpresa escorrendo dentro de cada lagrima morna...  a cada instante da palestra que fizeste!
- Orgulho, orgulho meu!
Donde escondeste tamanha sabedoria? amo-te!
Por amar-te demasiado, quase sufoquei tua sabedoria e encanto...
Peço-te perdão !
Amor, amigo!
Tamanhã é minha alegria ao ver- te...
Príncipe dos príncipes!
Sua voz açucarada, sua tês suave como uma brisa noturna transforma qualquer dissabor em alegria!
- Confesso!
Estreito esta meu peito de tanto amor!
- Divino por natureza, cristalino por essência!
Agradeço ao universo por ter me concebido este presente  " VOCÊ".

Nilzangela Souza


  

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Koesia

Desfecho de adjetivos passados, trazem reflexões que estavam alheias aos fatos cotidianos
Como desfazer ações e decisões?
-  reconstruindo  paredes sobre  muralhas quebradas?  tantos desterros, decepções, desilusões
todas soltas aos ventos nordestinos...
Tristes montanhas rochosas, moradias verticais preenchem minhas janelas auriculares.
Brisas quentes, pensamentos frios, sucos gástricos fervem... 
Noites como carvões    em chamas espantam todo colo noturno de minhas pálpebras
- Desconfortos  contínuos, pensamentos deletérios frisam insonias rescindentes
Palpites terceirizados irritam meu ser!
Porque existem tantas possibilidades nas cabeças das pessoas que assistem aos espetáculos cotidianos de fulanos e sicranos.
Eles possuem explicações e soluções para tudo e todos, desde que tratem dos problemas alheios!
Gelos, gelos, gelos, gelos e gelos... acalmam minha alma inquieta.

Nilzangela Souza


       

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Calor

No calor da emoção derretemos cubos  de razões, que por sua vez seriam
extremamente importantes não somente para o presente como futuro.
No calor da emoção jatos fictícios são lançados massa cefálica acima/abaixo/adentro...
Benefícios  que poderiam chegar, ficam longe...
No calor da emoção  laços se apertam, chegam a sufocar todas lagrimas de larimar...
No calor da emoção floresce insegurança, e logo murcha  paixão em função do calor da emoção.

Nilzangela Souza
  

Casa do Poeta de São Paulo

Casa do Poeta de São Paulo
Presidente Wilson Jasa, Vice Presidente Adriano Augusto, Embaixadora Cultural

Movimento Poético

Movimento Poético

Associação de Poetas Portugueses

Associação de Poetas Portugueses

Casa do Poeta de São Paulo

Poderá também gostar de:

Postagens antigas

Seguir

Obrigado à todos visitantes!

Maria Ruth

Maria Ruth
Artista Plastica

Titulo - Criação By Nicah Gomes

Titulo - Criação By Nicah Gomes
Tela - Acrilico TM 1x20 1.00

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Translate