sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Furikake -

Fui ao supermercado curiosamente encontrei um condimento " furikake" que até então era impossível achar em outro local que não fosse no bairro Liberdade, aquela embalagem triangular cheia de figuras saltitantes falou à minha memoria feliz!
...
 balõezinhos flutuantes
  partículas coloridas me remeteram à alegria de viver.
Caminhar pela liberdade garimpando especiarias!
Experimentando sorvetes das mais variadas aparências e cores,  lembro do melona  aquilo era uma afronta ao meu meu restrito paladar, lembro a sensação da primeira mordida naquele sorvete verde, macio parecia realmente um pedaço de melão geladinho escorrendo pela garganta humm que maravilha!  somente em  pensar, outrora esse sorvete  era raridade
  assim como furukake. Hoje
 podemos encontrar em vários supermercados ou quintandinhas japonesas. Isso tão pouco alterou o valor e o peso daqueles momentos de degustação seguidos de caminhadas
  nas galerias recheadas de olhos puxados e distantes tal qual a terra natal deles, enigmáticos como os montes orientais, lotadas como Tokio, porém sem  bonus  nada  organizadinho! mas isso  também faz parte do show atrativo por ali.
Apos caminhar uns quarterões entretida numa coisa e outra  , chegamos numa simpática pracinha onde aos domingos ficam espalhadas barracas gastronômicas de comidinhas e também artesanatos orientais onde podemos encontrar até umas coisinhas para decorar! 
Como um simples saché pode me  trazer tantos ganhos!
- como dizia nossa querida C. Lispector " as pessoas mais felizes não possuem as melhores coisas, elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. 

Nica Gomes





!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Vácuo

Faixa etária... desassossego, outrora luxuria
Desproporção... emocional...impregnada em quase tudo.
Predisposição... ética... ver além ou aquém de tudo
Aprendizado sem passado... intranquilidade
Viver sem abandonar ou abdicar de habilidades adquiridas
Nascer para o pavio apagado
Acender o nascer do pavio
Desnecessário sossego... aleija visão, ação...
Deslocada sensação no vácuo.  
Nica Gomes

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Muro - sacada

Normalmente ser normal é anormal !
Anormal ultimamente é normalmente normal !
Afrontar o louco é sem graça!
Desacatar  o ignorante é perda de tempo!
Pensar demais em pessoas de menos é creditar bônus em cartão perdido!
A casca é casta ...
A carne soberba, a língua crespa..
Enfrentamento é descontente ...
Descontente é gente sem dente cheio de carne pra comer!!!
Comer é coisa boa, mas não é para qualquer pessoa, somente Deuses degustam o resto é resto...
Resto de palavra, resto de adjetivo, resto de paliativo...

Nilzangela Souza


sábado, 23 de agosto de 2014

Filme

Assistir uma película duas vezes é enfadonho! por mais que desejamos mudar a leitura
de uma cena, ela será a mesma, o ângulo será igual. Então analisar um filme na verdade
é analisar nosso amago. Em determinado instante tudo que fazia sentindo já não tem o mesmo peso ou a mesma medida.
O enfadonho começa a ser desmistificado de maneira fria e calculada.
Um tipo de pena curada ou um tipo de orgulho furado ou quem sabe consciência!
Essa tal consciência é uma lapada na inocência, tornando-a adulta e chata ou quem sabe autêntica.
Exposição em excesso; como disse nosso querido Gilberto Gil "desnecessário " dai eu pergunto? para que? e porque? descortinar ideias ou ideais que somente tem relevância para nós mesmos?
-- Há sentidos que mesmo sendo contado mil vezes não serão  compreendidos nem tão pouco bem interpretados por Querubins ou Querubinas.
 No entretanto o filme começa a fazer sentido no momento em que você para e escutar; sua compreensão! não é estranho? embora se pensarmos;   cenas corriqueiras são táteis, digestivas. No entanto o perigo mora ao lado, começa exatamente neste ponto que teoricamente seria o ponto de chegada, este,  torna-se o ponto de partida.
-  Assistir outra vez o mesmo filme? abrir as entranhas dos significados e signos? ou devorar todas falas  ? . fácil? - meu caro minha cara mudar o ângulo é algo maçante principalmente quando o pescoço é duro.
 O filme pode ser contado de maneira enfadonha ou risonha esta em nossas mãos torna-lo novo ou velho. Casual ou formal! tudo vai depender do nosso olhar naquele momento, e não do filme.




Nilzangela Lima

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Varal

Nova morada, velha morada, nova rosa, rosa nova
Rosa vermelha, amarela, branca desabrochando aveludando
olhos de encanto.
Encanto moroso, vista brilhante!!!
Invejoso à vista pensa e não conquista, fala e não faz
Ânsia de contar os dedos enquanto admira a varanda alheia
Tudo andando, abelhas trabalhando
Amendoim, benjoim, carmim
Karma,?
Darma,!
Solução?
Castigo?
Bondade!
Maldade!
Piedade?
Ação do tempo...
Cozinhou em agua morna!
Acordou o sapo cururu...


Nica Gomes
    

domingo, 17 de agosto de 2014

Além

Visões do além sombras, assombradas, vultos voam  apressados
Vultos aflitos, espíritos falantes, melancolias  dançantes
Crianças dançam cantam chorão... meninos gritam balançam e cansam
Bexigas cheias , balas de  balões e pensamentos que vem e vão como ventos
Ventos alegres aerizam sorrisos tristes
Tristes são pensamentos deletérios !!! que teimam em pousar nas mentes felizes
Felizes são pessoas e não personas.


Nica Gomes

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Razão bruta

Emoção foi embora, saudade ficou  vazia. Cresceu a lua encheu a noite; " à la  lobisomem "
Espinheira danada essa tal saudade!
A razão bruta faz  gelo quente, faz a mente virar juju!
Juju me remete à Dona Tintina toda manhã passando cheia de molambo e sua trouxa de trapo. Caminhava sem parar os  trezentos e sessenta e cinco dias cumprindo suas promessas a Deus!
Lembrar daquela senhorinha me fez sentir o cheiro do medo, o desconhecido pois a casa de dona Tintina tinha fama de mal assombrada, somente de passar na frente do enorme portão de sua chácara  meu pequeno coração palpitava, meu ritmo acelerava, enquanto a casa de dona Tintina não saísse do alcance de minhas pupilas, meu coração não sossegava. Engraçado o desconhecido nem sempre pode ser ruim, mas a sensação é sempre ruim.
A ingenuidade é bruta? ou cega? o medo é ruim? ou ruim é o medo?  é sabido que todo bicho bruto esta acuado! então porque é tão difícil captar? são tantos os poderes sobre as sensações que a própria razão bruta desconhece.



Nilzangela Lima.

domingo, 10 de agosto de 2014

Revelações

Onde encontra  fumaça nem sempre encontra fogo!
Mas onde encontra fogo sempre haverá fumaça...
Alguém especial um dia foi mal ! mesmo assim sempre será especial!
 Pedra  ribanceira abaixo,  o fardo é grande;  mesmo descendo... não deixa de ser pedra!
De repente azul depois ficou roxo e  amarelou... tudo acabou... e agora Maria?
Como um brilhante tão pequenino pode ser tão valioso? como alguém tão doce pode ficar tão amargo?-  como caracteres são importantes!!!
Como um pensamento esfria uma ideia !, ou uma ideia esfria um pensamento?
Lá do outro lado do oceano tem alguém me esperando para cantar e escrever estórias de ninar!
Ninar paixão, acalmar coração sem causar adoração... simplesmente admiração
Admiração absoluta pela conduta...
E por falar em conduta percebi que "palavra tem perna curta, não alcança coração!
Coração é coisa da mente que é tocada com atitude de gente!
Gente de verdade com lealdade e convicção, é meu irmão! existe amor além do amor?
Você pode me traduzir ? " amor além do amor" ? - acho que não.
 Esse  cujo mencionei  não se explica, não suplica, não implica, apenas facilita... e felicita !!!
Felicita parece  nome  pessoa boa.
Quem sabe Deus, você já conhece essa pessoa.
Pessoa de verdade, é com, ou sem vaidade?
Vaidade!!! tu pensou que essa vaidade vinha de beiço pintado? vestido rodado? ou brinco perolado?
- errou!
Vaidade tem fama brilhante, mas na verdade ela é acetinada disfarçada, as vezes vem vestida de fada.
Cuidado que ela pode te pegar sem você esperar!  será que se espera vaidade? cada coisa! hora , hora hora vamos  mudar de saco para mala. E voltar para a fogueira humana, o veneno libertino, a cegueira
de Joaquina. Todo dia é santo, ou melhor todo santo tem o seu dia.
 Hoje pode ser o seu.



NIlzangela Lima

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Poeira

Tinta, poeira, sinusite, enxaqueca dor de cabeça...
Feijoada, macarronada, churrascada trancada no meio da bananada
mas que palhaçada tudo e nada.
- Choro sem consolo, cachorro sem dente
gente que finge gostar da gente.
- Muda mudança, de repente cheio de esperança, uma estrada com rumo a oeste
Acredite tudo muda o tempo todo, independente de sua vontade tudo muda o tempo todo.
 ... Leve brisa do álcool sem festa.
- Deletérios pensamentos rabugentos! ou autênticos?
Claro, escuro, colorido, preto, branco, verde, azul pele.
Sono do tolo triste aveludado, encapado por dentes grandes e falsos
falsos como ostra aberta.
Mimos são caros!!! por traz de toda palavra doce tem uma intenção amarga!
Acabou o tempo... obrigação do amor incondicional.


Nilzangela Lima



Casa do Poeta de São Paulo

Casa do Poeta de São Paulo
Presidente Wilson Jasa, Vice Presidente Adriano Augusto, Embaixadora Cultural

Movimento Poético

Movimento Poético

Associação de Poetas Portugueses

Associação de Poetas Portugueses

Casa do Poeta de São Paulo

Poderá também gostar de:

Postagens antigas

Seguir

Obrigado à todos visitantes!

Maria Ruth

Maria Ruth
Artista Plastica

Titulo - Criação By Nicah Gomes

Titulo - Criação By Nicah Gomes
Tela - Acrilico TM 1x20 1.00

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Translate